Translate

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Acalanto

Oh meu amor!

Não chores, não me chame com lágrimas

Não quero navegar em rios até ti

Mas pelo ar, no som de teu riso!


Toque a lua em tua dança

Deixe-se abraçar pelo vento

E contigo estarei nesse momento

Ah! Não chores meu amor... Sorria apenas!


Quando deitar tua cabeça à noite

Lembra-te que te velo de longínqua estrela

E saberás que a chama que te guia

É um pedaço de nosso lar que carregas


Não me chame em gemidos tristonhos

Não quero precisar erguer teu rosto

Chama-me com amor e carinho

Que te darei doces beijos de aurora


Quando acordar de teus sonhos saudosos

Lembra-te que te guardo comigo

E o mundo perturbado que te cerca

É angustiosa ilusão terrena


Oh meu amor!

Não chores, não me chame com lágrimas

Não quero navegar nestes rios até ti

Mas pelo ar, no som de teu riso!

Castelo de areia


Meu castelo de areia

Outra onda derrubou

Com frieza e maestria

Outro sonho fez cair


Se o sol já não me toca

E se a noite então não finda

Porque tanto anseio afinal

A doce luz da aurora?


Utopia de menina

Outro Sonho primaveril

Fantasia platônica minha

Desta vez te dou adeus.